Christmas time...

O nosso Natal começou na sexta com a mítica viagem rumo ao sul. Com o pimpolho a bordo, a viagem torna-se ainda mais longa, pelo facto de termos de parar para ele mamar. Saímos de Coimbra por volta das 13.00, com uma Teresa a perguntar se faltava muito quando ainda nem a Condeixa tínhamos chegado... E foi sempre perguntando até chegarmos a casa dos meus pais, já passava das 18.00. Parámos em Grândola para a paparoca do João e para esticarmos as pernas. O tempo estava maravilhoso: sol e um calorzinho bom para esquecer a chuva miudinha que tínhamos deixado em Coimbra. D. Juan dormiu toda a viagem. Mesmo toda. Uma delícia portanto.

 

Por lá a festa foi cozinhada com mimos, temperada com muitas comidinhas boas (hmm tão boas), e adoçada com brincadeiras. Domingo demos um passeio junto à ria Formosa, com direito a muitos carrosséis (perdi a conta às voltas que o avô babado pagou às netas...) e pipocas. Depois disso não mas saímos de casa porque Dona Pipoca ficou doente... Febre, diarreia e vómitos. Toda a semana assim.

 

Regressámos na quarta, com um João a dormir a viagem toda novamente. Haja movimento para esta criança adormecer. Ainda tivemos que fazer uma paragem de emergência em Pombal e correr para as casas de banho exteriores... Mas correu bem, aliás, correu até muito bem, porque quinta e sexta passou o dia na casa de banho com diarreia. Na sexta deixou de ter febre e os nossos planos eram ir para casa da avó paterna no sábado. Mas sábado voltou a febre e como no domingo continuava com febre, o pai foi às urgências do Pediátrico com ela para ver o que se passava. Eu fiquei em casa com Don Juan. Diagnóstico: amigdalite bacteriana...... Lá veio com antibiótico receitado. Já não fomos no domingo. A passagem de ano aproximava-se e nós a ver que a íamos passar em casa... Segunda foi um dia terrível de febre: 39.8, 39.0 baixava para os 38 com o benuron. Uma Teresa muito quebradita, sem querer comer e a decisão lógica: ficar em Coimbra. Saí de casa e fui comprar uns docinhos natalícios à pastelaria e passei no Super para comprar o que faltava para sair um bacalhau com natas. Na mesa não faltou o queijo da serra, o champanhe (para o papá que a mamã bebeu suminho), gambas cozidas, o belo do bacalhau, coscorões, sonhos, rabanadas, broinhas de Natal, passas. Jantámos, por volta das 9.30 deitámos a teresa, dei banho ao joão, mamou e deitei-o. Por volta das 10 sentámo-nos no sofá a conversar e a fazer zapping visto que não dava na Tv. À meia-noite comemos as passas e vimos o fogo de artifício para o qual temos vista privilegiada de nossa casa. E assim foi a nossa entrada em 2013: caseira, tranquila, mas, apesar de tudo, boa.

 

Agora continuamos em casa para ver se enchemos a teresa de defesas capazes de combater os vírus e bactérias que por aí vêm.

publicado por pipocateresa às 14:44 | comentar | favorito