Hoje acordei

a pensar que a mulher emancipou-se para ser escrava.

É isso que sinto.

Escrava da culpa.

Culpa por não ter tempo suficiente para os filhos, por não os mimar o suficiente, por não estar para eles o suficiente, por não ir buscá-los suficientemente cedo à escola.

Culpa por ter que trabalhar e por trabalhar horas a mais.

Enfim, culpa.

 

(a este sentimento não deverá ser alheio o facto de ontem ter sido o último dia em que dei de mamar ao João)

publicado por pipocateresa às 11:35 | comentar | favorito