Pela primeira vez longe de ti...

Na quarta-feira da semana passada rumámos ao Porto, em direcção à casa da avó para deixar lá a minha pipoca fofinha. Na quarta de manhã estive em casa a preparar sopas, a fazer malas e a garantir que nada seria esquecido. Na quarta ainda dormimos no Porto e a princesa dormiu bem. Na quinta seguimos para o congresso (o meu marido foi comigo). Foi em Santiago de Compostela pelo que fomos de carro e como é só a duas horas de distância de casa da minha sogra, mentalizei-me que, em caso de necessidade, rapidamente chegava ao pé da princesa.

 

Durante a viagem ia distraída visto que daí a umas horas estaria a comunicar, pelo que não me custou muito. A comunicação correu bem e o dia também se passou bastante bem. O hotel era mesmo em frente ao congresso e era excelente: como não sabia se iria levar a Teresa comigo procurei o que fosse mais perto e tive imensa sorte porque por 130 euros por noite fiquei num hotel de 5 estrelas. Houve quem pelo mesmo preço ficasse num hotel inferior e muito mais distante.

 

Na sexta as saudades começaram a apertar. Entretanto, de casa da minha sogra fomos sabendo notícias, boas. O pirolito tinha dormido bem, estava bem disposta e comia bem. A minha sogra estava feliz da vida! Eu lá me descontraí e tentei aproveitar para aprender e, sobretudo, para me distrair. E, de facto, para isso foi muito bom. Sair da rotina profissional, que é sempre tão cheia, e saber o que se anda a fazer por aí na minha área. Tirar ideias, pensar em coisas novas para fazer. Foi bom! Depois para nós, casal, também foi muito bom. Confesso! Estarmos só nós, passear de mão dada, sair um pouco à noite! E tudo isto em dois dias e meio...

 

No sábado o meu coração de mãe já estava do tamanho de uma ervilha e, por isso, não fiquei até ao fim do congresso. Por volta das 11 horas saímos de Santiago e fomos almoçar ao Porto. O meu amor riu-se tanto, mas tanto! Estava mesmo feliz!

 

Entretanto esta semana tem andado cheia de mimo, claro. Os dias na casa da avó tiveram este efeito. Quando chegámos, só queria adormecer no colo, não podia estar sozinha um minuto... Agora já está melhor.

 

A minha vida anda numa correria e nem tive tempo de actualizar o nosso cantinho. Vou redimir-me... É que ela está tão gira que há sempre coisas para contar. Agora só quer estar sentada e, depois, de vez em quando lá tomba para um dos lados. Deitada de barriga para baixo é que não é nada com ela. Assim, meu amor, nunca mais gatinhas.

publicado por pipocateresa às 18:51 | comentar | favorito