E sobre o nosso fim de semana

(e isto apesar das "bombas" que persistem em cair; todo o fim de semana me lembrei deste poema do Eugénio de Andrade:

 

Manhã de Junho

Talvez, talvez sejam os últimos

dias. Se for assim, são um esplendor.

Apesar dos aviões da Nato despejarem

bombas e bombas no Kosovo, a perfeição

mora neste muro branco

onde o escarlate

da flor da buganvília sobe ao encontro

da luz fresca da manhã de Junho.

A beleza (não há outra palavra

para dizê-lo), desta manhã

é terrível: persiste, domina –

apesar dos aviões, mesmo com

bombas a cair e crianças a morrer.)

publicado por pipocateresa às 09:11 | comentar | ver comentários (1) | favorito