21
Fev 14

Oh sweet weekend

Adoram livros. Os dois. Ele vai buscar os livros aos armários dela. Puxa da cadeira e senta-se a folheá-los. Ela, por vezes, zanga-se porque tem receio que ele os estrague (já rasgou uma ou outra folha...). Outras vezes agarra no livro e conta-lhe a história.

Aqui consegui captar um desses momentos.

 

Somos tão felizes nestes momentos.

 

publicado por pipocateresa às 22:53 | comentar | ver comentários (3) | favorito
19
Fev 14

...

Faz hoje exatamente um ano que escrevia isto:

 

"150 dias

 

São 3600 horas. São 216 000 minutos. São 12 960 000 segundos.

 

Foi este o tempo em que a minha profissão foi ver-te acordar, foi mimar-te, alimentar-te, foi limpar as tuas lágrimas, foi ver-te dar o primeiro sorriso, foi fazer-te rir, foi ver-te agarrar os primeiros bonecos, foi ouvir-te nos teus primeiros sons. A minha profissão foi dar-te a primeira papa e a primeira sopa. Foi passear contigo nos poucos dias em que fez sol. Foi proteger-te em casa nos muitos dias em que esteve chuva. Foi estar contigo e para ti.  

 

Passaram 150 dias desde o dia em que chorei de uma forma arrebatadora quando te vi chorar. Porque o amor que senti por ti foi assim. Total, arrebatador, imenso, absoluto.

 

Passaram 150 dias desde o dia em que nos começámos a conhecer. Do que gostas, do que não gostas. O que te alegra. O que te faz chorar.

 

Passaram 150 dias, 3600 horas, 216 000 minutos, 12 960 000 segundos e parece que hoje é dia 23 de setembro, são 16.11 e choras.

 

E sim, sei que virão muitos mais dias, muitas mais horas e minutos e segundos, mas hoje o que sinto é que terminaram os (só)nossos 150 dias."

 

E sinto estas palavras como se tivessem sido ontem. 

 

publicado por pipocateresa às 09:57 | comentar | ver comentários (2) | favorito
17
Fev 14

Oh happy weekend

O fim de semana é qualquer coisa de absolutamente adorável e que nos deixa absolutamente esgotados! :) 

Gosto de fins de semana sem grandes programas e que se vão construindo à medida que as horas passam. Sem grandes planos. Sem grandes compromissos.

Não deixam de ser fins de semana cheios. Porque são muito cheios até. Quase sempre chego ao final do dia cansada.

Por isso, digo, muitos vezes, que o meu desporto é ter 2 filhos pequenos. Manter a forma assim é muito fácil.

 

Sábado foi dia de ir às compras (ultimamente temos ido os 4)

À tarde tivemos um aniversário de um amiguinho. Divertiram-se bastante e portaram-se muito bem.

 

Domingo foi dia de irmos almoçar fora.................. Pronto almoçar é força de expressão, é forma de dizer... Sem dúvida, que ainda não está na altura do nosso pequeno trovão ir almoçar fora... Até se portou bem, mas é um stress, porque acaba de comer e depois quer chão, claro. E ir para o chão num restaurante é um bocadinho complicado... Enfim, podia ter corrido pior... Mas prefiro almoçar tranquilamente em casa.

 

Enquanto o joão dormia a sesta com o pai a "vigiar", eu e a Teresa fomos aproveitar o sol. Estava frio que estava, mas pelo menos esteve um lindo sol. Fomos a pé até ao LIDL que ainda é longe e ainda parámos nos chineses onde comprámos um guarda-chuva para o papá, uma brinquedo para cada piolho e um agrafador para a mamã. Toda a gente ganhou uma prenda!! hehe

 

Depois fomos lavar os carros. Eu e os picolis ficámos quase sempre dentro do carro porque já estava a ficar frio e fomos tirando fotos e ouvindo músicas no iphone. Adoram música, os dois!

 

 E depois é isto todo o fim de semana. Abraçam-se imensas vezes. E beijinhos, e tudo, e tudo. E o meu joão com a sua mão leve, de vez em quando, também assenta a mão na irmã... Tem que perder o hábito porque pelos vistos na escola também "vai na volta" e tumba, nos mais velhos e tudo. É tão reguila!!!

 E agora cá estamos à espera do próximo fim de semana...

 

 

 

publicado por pipocateresa às 22:37 | comentar | ver comentários (2) | favorito
12
Fev 14

New look

 

publicado por pipocateresa às 20:42 | comentar | ver comentários (3) | favorito

Uma mãe sabe quando um filho precisa de cortar o cabelo quando...

... a avó de uma coleguinha o confunde com uma menina e durante cerca de 5 minutos se refere a ele como "olha a tua coleguinha, tão querida, simpática,...".

 

Eu olhava para ele e pensava "oh pah mesmo com o cabelo grande que está, tens cara de rapaz até ao tutano!!" ou é de mim? ;)

Mais logo mostro a foto do depois. 

 

publicado por pipocateresa às 12:33 | comentar | ver comentários (1) | favorito
09
Fev 14

Jano

É o nome carinhoso pelo qual a mana trata a nossa pequena fera. (também o trata por "fera") :)

 

publicado por pipocateresa às 16:01 | comentar | ver comentários (1) | favorito
30
Jan 14

Bath time

 

 (o arranhão na cara da teresa é obra do grande "artista")

publicado por pipocateresa às 21:07 | comentar | ver comentários (3) | favorito
28
Jan 14

E depois há aqueles dias...

A maternidade também é feita de dias em que desejamos conseguir ir à casa de banho sem atrelados (5 minutos??).

Em que gostávamos de conseguir que as unhas secassem depois de as pintarmos.

Em que aquela resmunguice de fundo já nos irrita as entranhas.

Em que nos sai um grito mais alto.

Em que gostávamos de ter tempo para fazer coisas simples, mesmo simples, como secar a loiça sem ser a prestações, como fazer uns biscoitos do início ao fim, sem interrupções de horas pelo meio...

Tomar banho sem ser a correr e em sobressalto (não mexas, não tires, não abras, não puxes). E pôr creme no corpo? Ai pôr creme... onde anda esse hábito que era diário.

 

Sim também há aqueles dias...

                          ... mas mesmo nesses dias ouvimos um recém-nascido chorar na televisão e desejamos viver tudo novamente. 

 

 

publicado por pipocateresa às 21:41 | comentar | ver comentários (2) | favorito
27
Jan 14

E sobre a relação dos manos...

A Teresa é um doce. É meiga, é carinhosa, é protetora, é amiga, é cuidadosa.

 

O João é espevitado. É reguila, é irrequieto, é mexerico (mexe em tudo...). Mas é doce, meigo, mimoco.

 

Abraçam-se imensas vezes. Ele no meio das maratonas que faz pela casa, atira-se para o colo dela, enrosca-se às pernas dela a pedir mimo, festas, abraços, beijinhos. Se ela o agarra mais do que a energia dele aguenta, lá a empurra, e segue a vida atarefada.

Mas é ciumento. Ele. Ela nem por isso. Mas ele se me vê a dar-lhe mimos, vem logo a correr, reclamando o seu lugar. Empurra-a determinado e eu lá tento abraçar os dois e desviar a atenção dele da disputa. 

 

Enche-me o coração olhar para os dois e reforço a ideia que sempre tive: um irmão é a maior e melhor prenda que podemos dar a um filho.

publicado por pipocateresa às 22:59 | comentar | ver comentários (3) | favorito